Alavanque os seus estudos!

quarta-feira, 27 de março de 2019

Resiliência e Motivação nos Estudos

Não é surpresa para ninguém o fato de que a vida dedicada aos estudos para concurso público não é fácil. Há um preço a se pagar para alcançar a aprovação e que poucos efetivamente vão até o final para tanto – estes poucos certamente alcançam, mais cedo ou mais tarde, a coroação da aprovação.
Tudo isso porque há um enorme abismo entre a teoria e a prática, entre falar que se deve estudar e efetivamente “meter a cara nos livros” pelo tempo que for necessário até a aprovação. Da tomada de decisão até a efetiva aprovação muita coisa acontece, passamos por diversos percalços e o que a experiência nos mostra é que a maioria esmagadora acaba desistindo, entregando as armas, abaixando a guarda, antes de apostar as últimas fichas.

Como dizia Henry Ford, “há mais pessoas que desistem, do que pessoas que fracassam!”

Daí a enorme importância de falarmos em resiliência e motivação nos estudos, especialmente nos estudos voltados para concursos públicos. Como ser resiliente por tanto tempo? Durante a trajetória e diante de tantos obstáculos, como manter a motivação? Nas próximas linhas, falaremos de ambos os fatores que devem ser os seus principais escudos em sua trajetória até a aprovação.

Resiliência

Resiliência pode ser definida como a capacidade de se amoldar, se adaptar, se recobrar às adversidades e às mudanças que surgem durante a vida. Está ligado a ideia de flexibilidade e resistência, especialmente na vida dos concursos públicos.

É muito comum ouvirmos histórias de pessoas que até começaram bem nos estudos, todavia, diante de algumas adversidades, acabaram abandonando tudo e decidindo viver em uma espécie de “zona de conforto”, se conformando com rotinas e trabalhos que nem de longe eram desejados, tendo como companheira a frustração diária.

Todavia, basta conversarmos com alguém que passou em algum concurso público, escutarmos um pouco de sua história, para compreender o real sentido da palavra “resiliência”. Você perceberá se tratar de um ser humanos normal, desprovido de super poderes, que também enfrentou diversos obstáculos.

Daí surge a pergunta: qual o motivo de alguns desistirem em algum momento enquanto outros, providos de resiliência, vão até o final custe o que custar? A resposta é simples: tudo está ligado à decisão em se manter firme, encarando com “bons olhos” todos os obstáculos que surgem, meios de se adquirir experiência e maturidade, e não propriamente como grandes vilões invencíveis.

O problema é que ao conversar com aquele perfil desistente, você correrá grande risco de ser seduzido por uma triste história de vida. MUITO CUIDADO! É importante estar vacinado. Você ouvirá coisas do tipo: “eu precisava trabalhar, por isso parei com os estudos”, “eu me casei, tive filhos”, “eu não passava nunca, concurso público não é pra mim”.

É importante entender que, por mais realistas que possam ser tais desculpas, nenhuma delas é capaz de justificar o abandono de um sonho. Ter a atitude correta, com uma pitada de organização e uma boa carga de motivação (falaremos a seguir), funcionará como um campo fértil para superar qualquer obstáculo que se apresente diante de sua trajetória e “voila!”, você terá adquirido resiliência.

Não seja como uma pedra – não se encaixando em nenhuma circunstância que não perceba o seu formato –, mas seja como a água – adaptável à qualquer recipiente, espaço, causando até mesmo infiltrações.

Dica: se você costuma se abater diante de adversidades, busque histórias de pessoas de sucessos, preferencialmente de aprovados em concursos públicos, questione sem hesitar como superaram tamanhos obstáculos. Isso o ajudará a encontrar soluções ao invés de desculpas.

Motivação

Podemos resumir motivação como o combustível necessário para percorrer toda a estrada rumo à aprovação. Se o combustível acabar, dificilmente você terá forças para alcançar o seu objetivo.

É importante frisar antes de qualquer dica que a motivação é algo muito pessoal, o que te motiva pode não motivar o próximo; Aliás, o que te motiva hoje, pode não te motivar amanhã. Logo, será de extrema importância que você entenda o sentido de cada dica a seguir, somando com a resiliência visando se adaptar diante das adversidades em cada momento de sua vida.

Então vamos às grandes dicas que o ajudarão a manter a motivação em alto nível:

1 – Tenha um bom motivo!

Se você não tem um motivo para estudar, um motivo claro e bem definido, então por que estudar? Estudar por mera aventura dificilmente o levará à algum lugar.

É fundamental que você tenha um motivo para estudar para concursos públicos. Muitas pessoas possuem motivos negativos para estudar e passar em concurso, ao exemplo de ser aprovado para esnobar a ex-namorada, ex-marido, conhecidos que colocavam em dúvida ou descrédito qualquer chance de aprovação, patrão, etc. Um motivo negativo ainda é um motivo e funciona para alguns. Não é incomum que pessoas sejam motivadas por raiva, egoísmo, arrogância, vingança, etc. Se funciona para você, então tudo bem. Internalize (sem prejudicar o próximo, de preferência) e utilize como combustível.

Porém, motivações negativas, além de não serem saudáveis, não costumam durar tanto quanto as motivações positivas, motivo pelo qual sugerimos que você opte por razões positivas para de motivas, tais como: independência financeira, vida de conforto para você e sua família, mudar de bairro, exercer a função dos seus sonhos, ajudar alguém que ama, etc.

Gosto sempre de destacar um exemplo de um colega que tinha o sonho de ser juiz. A principal motivação, além do exercício da nobre função, era perceber mensalmente o salário pomposo da carreira de magistrado. Esse colega, logo no início dos estudos, desenhou um contracheque, assinando como destinatário, com todos os proventos de um juiz. Todos os dias, especialmente nos dias de desânimo, olhava para aquele contracheque e renovava as forças para encarar os estudos.

Como disse William Douglas: “se eventualmente não gostar de estudar ou da matéria, mude de atitude. Se gostar, vá fundo. Saiba sempre a razão do que está fazendo, motive-se, e o aprendizado virá correndo”.

2 – Não crie fantasias, seja realista!

 Comumente, alunos que começam a vida de estudos criam metas fantasiosas, exigindo demais de si mesmo. Já conheci pessoas que da noite para o dia decidiram estudar para grandes carreiras (juiz, promotor de justiça, etc.), e criarem uma meta de aprovação em seis meses, com uma média de doze horas de estudo diário. O problema é que ao não alcançar o objetivo, a tendência de receber um choque fortíssimo de frustração é enorme.

Seja realista. Crie metas que possa cumprir. É interessante que crie metas que o retire da atual zona de conforto, sempre forçando um pouco mais na medida em que avança, pois, ao superar a si mesmo, renovará a motivação diante desta conquista pessoal. Torne isso uma rotina!

Nesse sentido, evite dar ouvidos à “gurus” que fingem saber tudo sobre concursos sem sequer terem sido aprovados ou sem conhecerem a sua realidade. Ande com pessoas sensatas, equilibradas. Se afaste dos “falastrões”.

3 – Planeje metas de curto e médio prazo e se dê recompensas, você merecerá!

 A motivação é algo que precisa ser renovada constantemente. Criar apenas metas de longo prazo aumentará o risco de você desistir no meio do caminho por conta de eventual desânimo.

Por isso, é importante criar metas de curto (diária) e de médio prazo (semanal e mensal). A cada conquista, a cada cumprimento de uma meta, você enviará um recado claro ao seu cérebro: estou no caminho certo! Suas energias estarão em constante renovação. Se eventualmente não cumprir uma meta ou outra, seja competitivo consigo mesmo, acorde no dia seguinte e cumpra as metas pendentes, bem como as metas do dia atual. Isso fará com que você crie maturidade e perceberá que não se pode ganhar todos os dias, mas enquanto estiver vivo sempre terá oportunidade de correr “atrás dos pontos perdidos”.

Não se esqueça de que você é um ser humano, com emoções e sentimentos. Ao final de cada grande conquista, se dê pequenas recompensas. Isso traz equilíbrio (muito importante) em sua rotina.

Cuidado: não torne a recompensa uma espécie de “fuga” dos estudos. Exemplo: ao final de um dia intenso de estudos, não corra para a praia permanecendo por ali por todo o restante da semana. Mas, saiba dividir cada momento vivenciando-o com intensidade: momento dos estudos, estude! Quando for à praia, aproveite o lazer.

4 – Aprenda com a tartaruga e não com a lebre!

 É possível que a sua rotina permita apenas poucos momentos disponíveis para os estudos. Aproveite mesmo assim. Nunca pare de estudar, de perseguir o seu objetivo.

Não é raro candidatos que se submetem à cargas-horárias extremamente elevadas (estudos de 12, 13 ou mais horas de estudos por dia) e, diante de alguma adversidade, param por dias com a falsa crença de que possuem “horas cumuladas” no banco de horas dos estudos.

Quando o assunto é “estudos para concursos públicos” não é assim que funciona. A constância é muito mais importante comparado à picos intensos e isolados de estudos.

Além disso, em pausas extensas, você corre grande risco de ser atingido pelo desânimo, perdendo a tão preciosa motivação.

5 – Nunca se esqueça: você só precisa de uma única grande vitória!

 Não caia na armadilha de comparar os estudos para concurso público com competidos esportivas. Um time de basquete, por exemplo, precisa de muitas vitórias, somando, por conseguinte, muitos pontos para se sagrar campeão.

Você não!

Você só precisa de uma aprovação, a aprovação no concurso dos seus sonhos.

Tendo essa consciência, certamente você terá maturidade para encarar com otimismo eventuais reprovações.

Muitos se abatem – e até desistem – após uma dolorosa reprovação. Já perdi as contas de quantas vezes ouvi a frase: “faltou tão pouco”, seguido de uma frustrante desistência. Ora, mude a perspectiva, se faltou tão pouco é prova de que você está muito perto da aprovação. Seria uma completa insanidade desistir a essa altura do campeonato, não é mesmo?

Encare a reprovação como um grande professor. Em verdade, trata-se de um verdadeiro “raio-X” que aponta com precisão todos os pontos em que você precisa melhorar. Com isso, você estará munido para retomar os estudos, revisando seus pontos fortes, e investindo todas as forças nos pontos fracos.

Pela simples mudança de perspectiva você alcançará uma poderosa fonte de motivação para persistir até a tão sonhada aprovação.

"Ter sucesso é falhar repetidamente, mas sem perder o entusiasmo”.

Winston Churchill

Fonte: novaconcursos.com.br 


 Precisando de ajuda para organizar seus estudos? 
Como o Aprimora Coaching pode te ajudar? 
- Organização; 
- Planejamento; 
- Cumprimento de metas; 
- Fixação de cronograma completo com teoria, revisão, questões; 
- Motivação; 
- Autoconhecimento; 
- Controle da Ansiedade. 

Informações: contato@aprimoracoaching.com
                  Chat: www.aprimoraonline.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis