Coaching para Concursos e OAB

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Depoimento do Aprovado - Iana Nascimento (Oficial de Justiça Avaliador – 4º Lugar – Tribunal de Justiça do Pará)

Sabe aquelas perguntas que você estava doido para fazer aos concurseiros aprovados??
A Concurseira Dedicada faz por você!!

A entrevistada de hoje é Iana Nascimento aprovada em 4º Lugar para Oficial de Justiça Avaliador do TJ/Pará).


1- Nome: 
Iana da Costa Nascimento. Natural de Itabaiana/Sergipe, 33 anos.

2- Área de formação: 
Direito

3- Cargo em que foi aprovado: 
Oficial de Justiça Avaliador – 4º Lugar – Tribunal de Justiça do Pará. 


4- Já havia sido aprovado anteriormente? Em que concurso? 
Esse foi o meu primeiro concurso, portanto, nunca havia sido aprovada antes.

5- Quanto tempo demorou a ser nomeado? 
6 meses após a homologação.

6- O que sentiu ao saber da aprovação? 
Na hora eu nem acreditei, pedi para minha mãe ler diversas vezes o resultado final para saber se o nome que estava ali era mesmo o meu (rsrsrs). Foi uma sensação indescritível... um misto de felicidade, agradecimento e uma sensação de estar segura e protegida nesse país cheio de instabilidades.

7- Pretende continuar estudando para concursos? Para qual cargo? 
Sim, pretendo fazer magistratura estadual.

8- Há quanto tempo estudava para concursos?
Eu decidi entrar no mundo dos concursos em janeiro de 2014, então comecei estudando de leve, organizando e pesquisando alguns materiais e tal, até que em maio do mesmo ano, lançaram o edital do TJ/PA e a partir daí eu comecei a estudar de forma constante, regrada, seguindo ao pé da letra cada tópico do edital, até o dia da prova, em 10 de agosto de 2014.

9- Quantas horas por dia dedicava aos estudos? 
Pela manhã eu não estudava. No entanto, logo após o almoço, eu estudava durante toda a tarde, a noite e até um pouco da madrugada, geralmente até as 2 horas da manhã. A cada 50 minutos de estudo, eu descansava 15 minutos.

10- Tinha dedicação exclusiva? 
Não tinha, pois eu era advogada e as minhas manhãs eram sempre ocupadas.

11- Fez planejamento de estudos? 
Eu adaptei um cronograma que eu mesma havia feito quando estudei para a prova da OAB, 5 anos antes. No entanto, para quem não é disciplinado, um edital esquematizado ou um coach são altamente recomendados.

12- Estudava quantas matérias por dia? 
 Duas matérias por dia, durante os dias úteis, sempre correlatas: Administrativo/Constitucional – Penal/Processo Penal e assim por diante. Nos finais de semana e feriados, como eu não trabalhava, eu estudava três disciplinas. Penal/Processo Penal/ECA – Civil/Processo Civil/Regimento Interno...

13- Fez cursinho? Online ou Presencial? 
Eu tinha adquirido o curso online específico para Tribunais, do Renato Saraiva, mas desisti de ver todas as aulas, pois achei que seria perda de tempo. Então, eu selecionei as disciplinas que eu mais tinha dificuldade, por exemplo, Licitação e Contratos de Direito Administrativo, e via essas aulas, sempre anotando tudo, para servir como resumo depois. No tocante às disciplinas que eu tinha um pouco mais de facilidade, eu apenas lia as sinopses, lei seca, e resolvia muitas questões através do site “Questões de Concursos”.

14- Fazia turma intensiva ou regular? 
Não.

15- Estudava por mapas mentais ou resumos? Eram elaborados por você? 
Eu, particularmente, não consigo aprender muita coisa utilizando os mapas mentais. O mesmo eu já não posso falar dos resumos que, para mim, são altamente eficazes. Eu fazia resumo de tudo, de forma digitada, lia todos os dias nas revisões diárias, juntamente com a lei seca e a resolução das questões.

16- Qual foi sua maior dificuldade durante o período de preparação? 
O sono e alguns picos de insegurança que geralmente povoam a mente de todo estudante.

17- Passou por períodos de desânimo? Se sim, o que fazia para retomar os estudos? 
 Eu tinha muita confiança em mim mesma, o apoio de minha mãe, e muita fé em Deus. Quando algum momento de insegurança ousava em chegar, eu parava um pouco, abria a Bíblia, conversava com Deus, pensava em outras pessoas que conseguiram a aprovação e dizia a mim mesma: “se eles puderam, eu também posso”, então eu voltava a estudar e tudo fluía bem. Outra coisa que me animava bastante eram os depoimentos dos aprovados do site “Concurseira Dedicada”. Eu li todos eles, quase todos os dias. Há um ditado que diz: “se você quer saber como chegar lá, converse com quem já foi” então eu me inspirava nos depoimentos dos guerreiros que já haviam trilhado o caminho que eu estava percorrendo.

18- Chegou a pensar em desistir? 
Desistir nunca foi uma palavra existente em meu vocabulário. Nesse caso principalmente, já que foi o meu primeiro concurso e eu sempre soube que concurso se faz até passar... Se não fosse dessa vez, seria outro, mas eu sabia que brevemente eu seria agraciada com a vitória.

19- Tinha o apoio de sua família e amigos? 
Eu tive um forte apoio de D. Josefa, minha mãe, que sempre ouvia minhas lamúrias, me aconselhava e sempre estava ali para ser o meu suporte emocional. Essa aprovação foi especialmente um presente meu para ela, mulher humilde, que fez questão de dar para os filhos aquilo que ela, não por falta de vontade, mas sim por falta de oportunidade, não conseguiu ter: os estudos. Além dela, também tive o apoio dos meus irmãos. Com relação aos amigos, poucos souberam que eu estava estudando, apenas duas tinham conhecimento: Adenilde e Marcela, ambas me incentivavam bastante.

20- Costumava sair aos finais de semana? 
Eu nunca fui muito de sair. Eu morava em uma cidade do interior, onde as opções de lazer eram poucas, então isso contribuiu bastante. Basicamente, aos domingos, eu saia para almoçar com a minha família.

21- Praticava exercícios físicos? 
Sempre tive preguiça, mas sei que é muito importante praticá-los, já que ajuda na oxigenação do cérebro, contribuindo para uma boa memorização e o bem estar do corpo.

22- Usava as redes sociais no período pós edital? 
Sempre! Nunca me desconectei de nada. Eu aproveitava os 15 minutos de intervalo durante o dia para dar uma sapeada no Facebook, WhatsApp, Fóruns, Blog da Concurseira Dedicada, ligar para alguém etc. Na verdade, essas ferramentas, se usadas com moderação e disciplina, até ajudam, pois através delas a gente pode conhecer pessoas que estão no mesmo “barco”, que nos dão dicas, motivações... enfim, nos ajudam a segurar a “onda”.

23- O que costumava fazer no dia anterior à prova? 
Eu estudei durante o dia todo. Utilizei aqueles resumos de todas as matérias, que eu havia feito, e só fui dormir 1 hora da manhã, depois que revisar todas as disciplinas. Isso me ajudou bastante, já que, no dia da prova, se eu não tivesse feito isso, eu teria errado, no mínimo, umas 4 questões, por puro esquecimento.

24- Arrepende-se de algo que fez ou deixou de fazer durante sua preparação?
Eu não me arrependo de nada, graças a Deus. Eu faria tudo de novo, sem mudar uma vírgula.

25- Deixe um recado aos concurseiros: 
 Não há nada pior que uma pessoa não acreditar em si mesma. Se você se predispõe a fazer um concurso público, não pode começar pensando que não vai dar certo, porque a concorrência é grande. Já está comprovado que cerca de 20% dos candidatos não vão fazer a prova. Dos 80% que sobram, apenas 10%, ou menos, estão, de fato, preparados. Eu analisava tudo isso e me agarrava a essa ideia com unhas e dentes. 

Cada um tem sem método, mas o que eu utilizei foi o seguinte: assistir às vídeo aulas das matérias mais complexas, ler sinopse (livros não muito aprofundados para este cargo), fazer resumo de tudo, estudar a lei seca e resolver muitas, muitas questões. Se estiver cansado, respire um pouco e, faça mais questões. Resolva todas as questões da banca que aplicará sua prova e quando chegar o momento, você estará tão familiarizado que terá a sensação de que está de boa, em casa, treinando questões. 

E, para finalizar, tenha muita fé, acredite em você e sempre se imagine tomando posse, chegando ao trabalho, exercendo a sua função, pois tudo que você imagina como se real fosse, torna-se uma verdade depois. Nada poderá detê-lo se você não deixar; se esforce, faça sua parte com determinação, positividade e uma certeza absoluta dentro do seu íntimo que não tem como não dar certo. Não há mistério, o única coisa que tem que ser feita para conseguir a aprovação é ter foco, disciplina e a certeza da vitória. Boa sorte a todos, fiquem com Deus e coragem para a luta!





Um comentário:

  1. Muito bom o depoimento, realmente é bom saber que outras pessoas conseguiram e como trilharam o caminho, tendo assim certeza de que também somos capazes. Obrigada pela força. Andréa.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis