Coaching para Concursos e OAB

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O que fazer quando você já estudou tudo e o edital do concurso ainda não saiu

A situação parece invejável para a maioria dos candidatos: terminar de estudar todo o conteúdo antes da publicação do edital. Mas só quem começa a se preparar com antecedência sabe o quanto pode ser difícil manter a determinação para seguir estudando quando a data da prova demora a sair.

Esse é o momento em que é possível construir um diferencial que garantirá a aprovação. Interromper os estudos, ou mesmo reduzir o ritmo, é deixar ir “por água abaixo” toda a vantagem da preparação antecipada. E permitir que outros candidatos atinjam o mesmo nível de conhecimento. Algo como se a pessoa parasse no meio da maratona e permitisse que corredores retardatários a alcançassem.

Lembrar que o edital pode ser publicado a qualquer momento – e pode mesmo – ajuda a manter o “frio na barriga”. Afinal, depois de tanto esforço, seria muito ruim precisar lamentar o tempo desperdiçado. Por outro lado, se o candidato mantém uma rotina intensiva de preparação, poderá comemorar a publicação do edital, porque sabe que estará na frente da maioria dos concorrentes.

Garantida a motivação, é preciso escolher a melhor forma de aproveitar o tempo até a publicação do edital. Veja algumas dicas:

Refinar o estudo
Mesmo quando toda a teoria foi estudada de forma satisfatória, podemos dividir as disciplinas em três grupos: aquelas em que sentimos ter bastante segurança, com bom nível de acertos; aquelas em que temos razoável domínio, mas percebemos que há pontos fracos ou então que demoramos muito a resolver as questões, o que pode ser fatal na hora da prova (caso de matérias que envolvam muitas contas, como matemática, raciocínio lógico e estatística, por exemplo); e aquelas em que ainda temos muitas dúvidas.
O indicador mais confiável para essa verificação é resolver provas de concursos anteriores, similares ao que se pretende fazer. O índice de acertos vai ajudar a fazer uma avaliação isenta e objetiva, independentemente de impressões subjetivas que possamos ter.

Há também a possibilidade de erros por distração e descuido com “pegadinhas” da questão. Isso pode ser superado a partir da prática em fazer provas.

Descobertas quais são as falhas, será possível adotar as soluções adequadas a cada caso.

Manutenção
As disciplinas em que, efetivamente, temos um bom nível de acertos (em torno de 90%), deverão ficar em manutenção, para que não se perca qualidade de conhecimento até a prova. E isso é uma providência essencial, porque não são poucos os casos de candidatos que não conseguiram pontuação mínima na prova justamente na matéria que sabiam mais, porque, por excesso de confiança, deixaram de estudá-la. Em concurso público, só se abandona uma disciplina depois da aprovação.

A manutenção acontece por meio de revisão completa do material (fichas-resumo) ao menos uma vez por mês, e resolução de questões de concursos anteriores de mesmo nível de escolaridade. É preciso cuidado para não usar provas muito antigas (não mais do que dois anos), porque alguns assuntos deixam de ser cobrados com tanta frequência, enquanto novidades podem ser incluídas. Também é preciso atenção com gabaritos desatualizados. Se surgir algum tópico desconhecido, o candidato deverá buscar a teoria sobre o mesmo, estudar o conteúdo e fazer a inclusão necessária nas fichas-resumo.

Até sair o edital, é interessante fazer provas de bancas variadas, para conhecer diversos estilos de prova, já que não se sabe qual será a banca escolhida para o seu concurso.

Pontos fracos
Às vezes, temos bastante segurança em uma matéria, mas há alguns tópicos que definitivamente não conseguimos compreender ou assimilar. Enquanto o edital não for publicado, haverá tempo de sanar essa deficiência. Vale tentar estudar o assunto desde o início, como se fosse a primeira vez, e de preferência utilizando um material diferente do que foi usado anteriormente, elaborado por outro professor. A mudança de didática e o fato de ser apenas um ponto da matéria facilita a compreensão de algo que antes parecia impossível.

Mas, depois do edital, é preciso cuidado com pontos muito difíceis. Se for apenas um tópico, e que não seja constantemente cobrado na provas, talvez seja mais produtivo abandoná-lo e usar o tempo para estudar muitos outros assuntos, em vez de ficar preso a uma pequena parte do conteúdo.

Contas e mais contas
Para quem não tem grandes afinidades com as matérias de exatas, em geral há duas etapas a serem cumpridas no estudo desse tipo de disciplina: compreensão da lógica das questões (e de qual fórmula usar) e, depois, conseguir efetuar todas as contas corretamente e em velocidade razoável.

Superada a parte da compreensão, somente a prática vai levar o candidato a concluir as questões no tempo necessário para um bom resultado na prova. Para isso, a indicação é fazer centenas de exercícios, com total atenção e no tempo que for preciso. Aos poucos, a tarefa se tornará naturalmente mais simples e mais rápida.

Matérias muito difíceis
Algumas matérias parecem desafiar a nossa capacidade de compreensão. E, não se preocupe, a maioria dos candidatos passa por isso. Para quem tem mais facilidade com as contas, as disciplinas de direito podem ser quase impossíveis. Para quem gosta de português e afins, são as matérias de exatas que fazem desanimar.

Ainda bem que, na verdade, só temos mais dificuldade com uma ou outra disciplina, porque talvez não tenhamos talento natural para aquilo. Mas, onde não há talento natural, a solução é apostar no treinamento.

Se você chegou ao fim do estudo e há uma (ou mais) matéria(s) em que você tem a impressão de não saber nada – ou muito pouco –, volte ao início. Sim, escolha outra fonte de estudo, se possível algo mais “amigável” como um curso presencial ou aula em vídeo. Já que existe uma dificuldade maior, é importante suavizar o novo contato com a matéria. E, por favor, não comece achando que não será capaz, porque isso (de verdade) atrapalha o trabalho do seu cérebro. Lembre-se de que você depende disso para conquistar a vaga que deseja. É um bom motivo, não acha?

Outros concursos
Ao mesmo tempo em que as providências sugeridas são adotadas, caso o edital que você desejava estiver mesmo demorando a sair, comece a olhar para outras possibilidades de concurso, que cobrem muitas das matérias que fazem parte do seu plano de estudo.

Nesse caso, reduza um pouco o tempo dedicado às específicas e priorize aquelas que podem servir para outros editais

Por: G1 - Lia Salgado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis