Coaching para Concursos e OAB

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Revisão Português - TRT SP - Profa. Duda Nogueira

Dica 1
Em primeiro lugar: sejam bem vindos a nosso cantinho de estudos de língua portuguesa. Aviso aos novatos que este grupo é FERA. Por quê? Simplesmente porque TODOS os membros se ajudam, discutem questões duvidosas e o melhor: acertam. Aqui não há competição, há companheirismo e este é o primeiro passo para que alcancem seus objetivos.

Dica 2

Vamos, agora, avaliar as provas TRT 15 – as aterrorizantes, como avaliaram meus alunos exagerados. 1. Já era de se esperar uma prova mais complicada. Provas de TRT 15 e TRT 2 sempre foram mais complexas. Acredito que não preciso tecer aqui os porquês.


2. Complicar onde? Tentar dificultar onde? Em INTERPRETAÇÃO DE TEXTO, claro. O motivo é simples: os candidatos preocupam-se com a gramática e esquecem que o que está sendo avaliado é seu poder de interpretar, de entender e para isso a leitura é fundamental. Se você é concurseiro, precisa ler mais para entender textos e para escrevê-los. Lembrem-se: há redação em algumas provas. Aqui está o X da questão.

Dica 3
3. Como facilitar?
3.1 Leia parágrafo por parágrafo e sublinhe as PALAVRAS- CHAVE. Concentre-se no que está lendo;
3.2 Após sublinhar as palavras, atente-se à tese (primeiro parágrafo) e à conclusão (último parágrafo). Saiba do que se trata o texto, encontre o tema (assunto) e o anote do “ladinho” do texto;
3.3 Hora de ler as alternativas: provavelmente vocês não perceberam, mas nos itens errados, HÁ PALAVRAS QUE EXCLUEM AS ALTERNATIVAS. A maioria dessas palavras está no início de cada alternativa.
3.4 O tempo é curto e trabalhar com ideias pode arrastá-lo demais, por isso sugiro que TRABALHEM COM PALAVRAS. O raciocínio torna-se mais rápido. Fique atento: TRT SC e PR – texto de Paulo Leminsk TRT BA – texto de Jorge Amado TRT 15 (Campinas) – todos os textos com o mesmo tema: arte. Texto de Saramago e outros retirados da revista literária BRAVO!

Dica 4
4. Quanto à GRAMÁTICA: sem muita novidade. Tudo o que foi exigido estava no padrão das provas anteriores, apenas tentaram dificultar um pouco. Quem estava estudando não deve ter errado e quem continuou, não errará. Vamos aos tópicos exigidos e que provavelmente se repetirão em TRT2.
4.1 COESÃO E COERÊNCIA (frases corretas)
4.2 PERÍODO COMPOSTO
4.3 VERBO
4.4 PRONOME
4.5 PONTUAÇÃO
4.6 REGÊNCIA
4.7 CONCORDÂNCIA
4.8 CRASE
Enfim, mesmo a banca tentando dificultar, você é capaz de acertar. TRT 2 deve ser o mesmo estilo:TEXTOS LONGOS com muitas questões de interpretação. Vamos às questões de gramática!

Dica 5
COESÃO E COERÊNCIA (frases corretas): se você sabe gramática, encontrará os erros; se você ler a alternativa e não entender, significa que não há coerência, ou seja, não há sentido.
- Dicas no site: http://www.portuguescomdudanogueira.com.br/artigos/35-esquema-facil-portugues-fcc

QUESTÃO 1 – adaptada TRT Bahia/2013 Afirma-se corretamente sobre os trechos:
(A) Há relação de finalidade no segmento: O cacau brasileiro de qualidade vem ganhando espaço no mercado internacional. (Em: “O cacau brasileiro de qualidade vem ganhando espaço no mercado internacional.” A afirmação é do presidente da Câmara Setorial do Cacau. Mas nem sempre foi assim: esse é um movimento de retomada que se segue a uma devastadora crise na produção brasileira. E o motor dessa retomada é o cacau fino.)
(B) A expressão “caminho sem volta” foi usada para indicar que houve progresso no modo de produção do cacau baiano. (Em: Mas o cacau fino da região tem surpreendido. Grandes empresas do mercado mundial hoje fabricam chocolates finos com cacau baiano de alta qualidade. “Esse é um caminho sem volta”, prevê um cacauicultor. “O mundo aponta para alimentos rastreados e de qualidade.” Para produzir uma amêndoa diferenciada, os produtores baianos investem emtecnologia, treinamento e remuneração da mão de obra.)
(C) Mantém-se o sentido original e a correção do texto substituindo-se o segmento À SOMBRA DAS ÁRVORES por “protegidas do sol”. (Em: A maior parte das propriedades da Costa do Cacau, a região do sul da Bahia compreendida por municípios produtores, utiliza o sistema cabruca, no qual os cacaueiros são cultivados à sombra das árvores da Mata Atlântica.)
(D) O produto a que se refere o autor em Os mercados-alvo para esse produto são Bélgica, Suíça, Holanda, Estados Unidos e Japão é o cacau comum. (Em: Enquanto menos cacau comum é enviado ao exterior, aumenta a exportação da amêndoa de alta qualidade. Os mercados-alvo para esse produto são Bélgica, Suíça, Holanda, Estados Unidos e Japão.)
(E) Sem prejuízo para o sentido, a expressão ALIMENTOS RASTREADOS pode ser substituída por “alimentos de origem duvidosa”. (Em: Mas o cacau fino da região tem surpreendido. Grandes empresas do mercado mundial hoje fabricam chocolates finos com cacau baiano de alta qualidade. “Esse é um caminho sem volta”, prevê um cacauicultor. “O mundo aponta para alimentos rastreados e de qualidade.”)

Dica 6
GABARITO QUESTÃO
1 - COESÃO E COERÊNCIA: B
– Bastaria voltar ao trecho. Questão fácil! Ops, retifico: item fácil. Fica claro o progresso nos trechos: Mas o cacau fino da região tem surpreendido. Grandes empresas do mercado mundial hoje fabricam chocolates finos com cacau baiano de alta qualidade.
A) Para indicar finalidade, faz-se a pergunta PARA QUÊ? Isso não ocorre no contexto, trata-se apenas de uma afirmação.
C) São CULTIVADOS à sombra das árvores = São cultivados PROTEGIDOS do sol. Pequeno detalhe de concordância que poderia induzir a erro.
D) O produto é a amêndoa de alta qualidade.
E) Rastreado = diz-se de que ou de quem foi investigado, inquirido; inquirir: levantar informações sobre (determinado assunto); INDAGAR; PESQUISAR.

Dica 7
QUESTÃO 2 - COESÃO E COERÊNCIA (FCC - Analista Judiciário –Administrativa – TRT 9/2013) Todos os homens comuns ficavam excitados pela visão [...] de um homem comum maior do que aqueles que tinham nascido para usar coroas. Uma nova redação para a frase acima, em que se preservam a correção e a clareza, está em:
(A) Os homens comuns, quando viam que um homem comum como eles era maior do que os nascidos para usar coroas, não tendo como não ficar excitados.
(B) Ver os homens comuns que um homem também comum era maior do que os nascidos para usar coroas eram o que os deixavam excitados.
(C) A visão de um homem comum maior do que aqueles nascidos para usar coroas, deixavam excitados todos os homens que eram tão comuns como ele.
(D) Não havia homem comum que não ficasse excitado pela visão de um homem também comum que se tornara maior do que os nascidos para usar coroas.
(E) À medida em que via um homem comum maior do que aqueles nascidos para usar coroas, todo homem comum ficava excitado com a visão que tivesse.

Dica 8
GABARITO QUESTÃO 2 - COESÃO E COERÊNCIA : D
– Há correção gramatical e clareza.
a) Os homens comuns, quando viam que um homem comum como eles era maior do que os nascidos para usar coroas, não TINHAM como não ficar excitados.
b) Ver os homens comuns que um homem também comum era maior do que os nascidos para usar coroas ERA o que os deixavam excitados.
c) A visão de um homem comum, maior do que aqueles nascidos para usar coroas, DEIXAVA excitados todos os homens que eram tão comuns como ele.
e) Opa! Duas opções sempre exigidas por FCC: à medida que = proporção, na medida em que = causa. Correção, no contexto: À MEDIDA QUE; tivesse indica condição e a ação no trecho é de continuidade: TINHA (pretérito imperfeito do indicativo).

Dica 9
PERÍODO COMPOSTO – Fique de olho nas orações subordinadas adverbiais e coordenadas aditivas, conclusivas e explicativas.

QUESTÃO 3 (FCC - Analista Judiciário – Administrativa – TRT 9/2013) Ele trouxe estabilidade e prosperidade a todos, EXCETO para os 250 mil franceses que não retornaram de suas guerras, EMBORA até mesmo para os parentes deles tivesse trazido a glória. Sem prejuízo para o sentido e a correção, os elementos em destaque na frase acima podem ser substituídos, respectivamente, por:
(A) se não − apesar de
(B) a não ser − conquanto
(C) aparte − não obstante
(D) à exceção − porém
(E) afora − contanto que

Dica 10
GABARITO QUESTÃO 3 - PERÍODO COMPOSTO: B
– Exceto = À exceção de, menos, ou seja, a não ser. Embora é uma conjunção e indica concessão, oposição, o mesmo que conquanto.
a) Se não: conjunção subordinativa condicional se + o advérbio de negação não. Significa dizer caso não; apesar de indica concessão, mas tornaria a gramática incorreta.
c) Aparte: palavra ou frase com que se interrompe quem fala durante um discurso formal ou uma conversa, ou que a própria pessoa introduz como esclarecimento ou adendo. Não cabe no contexto.
d) Porém: conjunção coordenada adversativa. Ao inserir à exceção, a preposição para deveria ser substituída por de 250 mil franceses.
e) Afora: com exceção de = caberia. Contanto indica condição e não concessão.

Dica 11
QUESTÃO 4 (FCC) A escolha do critério de julgamento é sempre crítica e sofrida, quando responsável; dispensando-se, porém, a responsabilidade dessa escolha, restará a terrível fatalidade dos dogmas. Mantêm-se o sentido e a correção da frase caso se substitua
(A) quando responsável por posto que responsável.
(B) quando responsável por conquanto seja responsável.
(C) dispensando-se, porém por se dispensarem-se, ademais.
(D) dispensando-se, porém por uma vez dispensado, no entanto.
(E) quando responsável por desde que responsável.

Dica 12 
 GABARITO QUESTÃO 4 - PERÍODO COMPOSTO: E
Quando responsável indica condição; o mesmo ocorre em desde que responsável.
Alternativa “a”: Posto que = concessão (ideias opostas – subordinadas).
Alternativa “b”: Conquanto = concessão (ideias opostas – subordinadas).
Alternativa “c”: Porém = adversidade (ideias opostas – coordenadas).
Alternativa “d”: Porém = adversidade (ideias opostas – coordenadas). Coordenação: orações independentes sintaticamente. Subordinação: orações dependentes sintaticamente.

Dica 13
VERBO – vozes + tempos e modos.
QUESTÃO 5 (FCC/2013) “Talvez seja exagero prever uma "Primavera Europeia" em países como Espanha, Grécia e Portugal, CASO ali PERSISTAM os atuais índices de desemprego. É inegável, entretanto, que pouco se tem feito para dissipar tamanho surto de aflições.” (Desespero de Causa - Folha de S.Paulo, opinião, p. 2A, 7/ 11/2012) Considerado o trecho acima transcrito, é correto afirmar:
(A) O verbo "prever" está empregado em conformidade com o padrão culto escrito, como o está o verbo "rever" na frase "A diretoria espera que o departamento revê a prestação de contas apresentada ontem".
(B) A formulação "São inegáveis as ações, poucas entretanto, que têm sido levadas a efeito para dissipar tamanho surto de aflições" mantém a direção argumentativa da frase original.
(C) Se em vez da palavra CASO fosse empregada a palavra "se", a substituição de PERSISTAM por "persistirem" preservaria o sentido e a correção originais.
(D) A substituição de Talvez seja exagero por "Talvez seja escessivo" preserva a correção da frase original.
(E) Se, na frase É inegável, entretanto, que pouco se tem feito para dissipar tamanho surto de aflições, tivesse sido empregada a forma "que pouco se fez" não haveria perda de nenhum traço de sentido.

Dica 14
GABARITO QUESTÃO 5 - VERBO: C
– Caso persistam = condição + verbo no presente do subjuntivo; se persistirem = condição + verbo no futuro do subjuntivo. Mantém o sentido (condição) e a oração continua correta.
Alternativa "a" – “...que o departamento reveja” é a forma correta de conjugar o verbo no Presente do Subjuntivo: não há certeza.
Alternativa "b" - a direção argumentativa é completamente alterada, pois no texto original a ideia é que “poucas ações têm ocorrido” e nesta alternativa a ideia transmitida é que “ações têm ocorrido, mas poucas delas são concretizadas, efetivadas.”
Alternativa "d" – a ortografia correta é EXCESSIVO.
Alternativa "e" – haveria, sim, perda de sentido uma vez que “pouco se fez” (Pretérito Perfeito) indica uma ação completamente acabada e “pouco se tem feito” indica que a ação começou no passado e ainda persiste, não foi finalizada.

Dica 15
QUESTÃO 6 (FCC/2013) “Se as deficiências de infraestrutura forem enfrentadas.” A transposição da frase para outra modalidade da mesma voz verbal gerará a seguinte forma correta:
(A) Se se enfrentarem.
(B) Se enfrentar-se.
(C) Se enfrentar.
(D) Se for enfrentada.
(E) Se tiverem sido enfrentadas.

Dica 16 GABARITO QUESTÃO 6 - VERBO: A
1- Voz Passiva Analítica Verbo SER + particípio do verbo principal = Se as deficiências de infraestrutura forem enfrentadas.
2- Voz Passiva Sintética = V.T.D. ou V.T.D.I. + SE (pronome apassivador) = Se se enfrentarem as deficiências de infraestrutura”.

ATENÇÃO: o 1º ‘se’ é conjunção condicional; o 2º ‘se’ = pronome apassivador: voz passiva sintética.
Alternativa "b" – a frase foi transposta para outra modalidade da voz passiva, mas apresenta erro de concordância verbal e colocação pronominal.
Alternativa "c" – a frase utiliza o infinitivo pessoal do verbo, perdendo a característica da voz passiva do enunciado.
Alternativa "d" – mantém a voz passiva analítica e apresenta erro de concordância verbal deficiências ’forem enfrentadas’ e não ‘for enfrentada’.
Alternativa "e" – mantém a voz passiva analítica e houve acréscimo do verbo TER.

Dica 17
PRONOME – emprego dos pessoais + colocação pronominal. Cuidado com os demonstrativos (exigidos em coesão) e relativos (regência).

QUESTÃO 7 (FCC) A substituição do elemento grifado pelo pronome correspondente, com os necessários ajustes no segmento, foi realizada de modo INCORRETO em:
A) único veículo que mandava REPÓRTERES = único veículo que os mandava
B) Impunha logo RESPEITO = Impunha-o logo
C) fazia questão de anunciar MINHA PRESENÇA = fazia questão de anunciá-la
D) um telefone para passar A MATÉRIA = um telefone para passar-lhe
E) sugerir CAMINHOS PARA AS ETAPAS SEGUINTES = sugeri-los

Dica 18 
GABARITO QUESTÃO 7 - PRONOME: D
– “lhe” não substitui objeto direto a matéria. = passá-la. DICA: LHE pode possuir função de objeto indireto, complemento nominal e adjunto adnominal.
Alternativa "a" – Pronome oblíquo OS substitui corretamente objeto direto repórteres.
Alternativa "b" – Mesmo caso da alternativa anterior, substituição de impunha respeito por IMPUNHA-O.
Alternativa "c" – Também aqui, objeto direto é substituído por pronome oblíquo adequado. Anunciar minha presença por anunciá-LA.
Alternativa "e" – Da mesma forma que as alternativas anteriores, o O.D. caminhos é substituído pelo pronome oblíquo LOS.

Dica 19 Pronome demonstrativo anafórico: retoma ideia = isso. Pronome demonstrativo catafórico: cita ideia = isto. Perigo: em algumas provas, como os textos foram adaptados, a banca trocou o emprego dos pronomes e pediu a qual ideia se referia. Atente-se à interpretação, ok? Por eliminação, você chegará à resposta correta. FOCO!

Dica 20 Pronome relativo + regência
QUESTÃO 8 (FCC /2012) Está empregado corretamente o elemento grifado na frase:
A) Adoniran Barbosa, A QUAL primeira tentativa de entrar para o rádio foi malsucedida, tornou-se um grande sucesso nesse veículo.
B) Em 1935, Adoniran ganhou um concurso com uma marchinha carnavalesca, PELA QUAL foi eleita a melhor marcha do ano.
C) Nas canções de Adoniran, a linguagem, CUJOS traços coloquiais são facilmente percebidos, reproduz o modo de falar de certas camadas sociais.
D) Adoniran Barbosa, O QUAL verdadeiro nome era João Rubinato, foi considerado pela crítica o maior sambista paulista.
E) Certas composições de Adoniran, NAS QUAIS incluem "Trem das onze" e "Saudosa Maloca", são conhecidas pela maioria dos brasileiros.

Dica 21
GABARITO QUESTÃO 8 - PRONOME: C
– Cujos é o único pronome relativo que, expresso no masculino plural, concorda com “traços coloquiais”. Possui função sintática de sujeito. DICA: indica posse do termo anterior. Ordem direta: Os traços coloquiais da linguagem são facilmente percebidos.
Alternativa "a" – cuja = sujeito.
Alternativa "b" – a qual ou que = sujeito. Se o relativo retoma o sujeito, não há preposição anteposta. Alternativa “d” – cujo = sujeito.
Alternativa "e" – que ou quais = sujeito.

Dica 22
PONTUAÇÃO – intercalação, inversão e zeugma (prova 2013).
QUESTÃO 9 (FCC/2013) ”Um carro comumente significa sucesso; UM CIGARRO, AUTOAFIRMAÇÃO; as praias oferecem um paraíso perdido, e as roupas de um estilista definem a identidade.” (Alberto Manguel, Lendo imagens: uma história de amor e ódio. Trad. Rubens Figueiredo, Rosaura Eichemberg, Cláudio Strauch,São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p. 143 e 144) A frase em que se nota emprego de vírgula determinado pelo mesmo motivo que definiu sua presença no segmento destacado acima é:
(A) Suas ligações eram sempre frequentes, ainda que breves.
(B) Se és feliz, escreve; se és infeliz, escreve também.
(C) Os meus hábitos quietos, o bom humor e a idade, principalmente esta, me favoreceram.
(D) Ela perdeu o fiel companheiro; a menina, um pai amoroso.
(E) Não é novo nada disto, nem eu estou aqui para dizer coisas novas.

Dica 23
GABARITO QUESTÃO 9 - PONTUAÇÃO: D
– A utilização da vírgula, neste caso, sinaliza a ocorrência de zeugma (omissão de palavras ou partes de frases expressas anteriormente no texto, podendo tais palavras ou partes de frases sofrer ou não flexão). “Ela perdeu o fiel companheiro; a menina, (perdeu) um pai amoroso.” O mesmo se dá no enunciado da questão “... um cigarro, (significa) autoafirmação”.
Alternativa "a" – a vírgula é utilizada para separar um período composto (oração subordinada concessiva = mesmo que, ainda que).
Alternativa "b" - as vírgulas têm a função de separar a inversão da oração sub. condicional. Já o ponto e vírgula (;) separa orações coordenadas, quando pelo menos uma delas já possui elementos separados por vírgula. Outro exemplo: “O resultado final foi o seguinte: dez professores votaram a favor do acordo; nove, contra”.
Alternativa "c" – a primeira vírgula separa termos coordenados (encaixe a conjunção e). As seguintes separam intercalação. Alternativa "e" – a vírgula é utilizada para separar um período composto (orações coordenadas).

Dica 24
REGÊNCIA + pronome relativo: coloque as orações na ordem direta. QUESTÃO 10 (FCC) Está correto o uso do segmento sublinhado na frase:
(A) Trata-se de um texto EM CUJA tese poucos devem mostrar-se contrários.
(B) A natureza também tem seus princípios de violência, A CUJOS os homens precisam superar.
(C) Nos ditames da lei mosaica, CUJO O rigor é indiscutível, prevalece o princípio da interdição.
(D) As normas da ética, DE CUJAS ninguém devia se afastar, não são exatamente as mesmas ao longo do tempo.
(E) Os braços da justiça, A CUJO alcance deveriam estar todos, tornam-se inócuos quando desprestigiados.

Dica 25
GABARITO QUESTÃO 10 – REGÊNCIA: E
Para não correr risco, coloque as orações na ordem direta. - Todos deveriam estar ao alcance dos braços da justiça = a cujo.
Alternativa "a" – Poucos devem se mostrar contrários à tese do texto = a cuja.
Alternativa "b" – Os homens precisam superar seus princípios de violência = os quais ou que. Alternativa "c" – O que é indiscutível? O rigor. Em primeiro lugar: não se usa artigo acompanhado dos relativos cujo e quem. Se o pronome relativo referir-se ao sujeito, não admitirá preposição = cujo rigor – o rigor da lei mosaica (indica posse do termo anteposto).
Alternativa "d" – Ninguém deve se afastar das normas da ética = de que ou das quais.

Dica 26 

CONCORDÂNCIA – verbo e sujeito (normalmente oracional: possui verbo).
QUESTÃO 11 (FCC/2013) Do ponto de vista da concordância, está correto o seguinte enunciado:
(A) O fôlego da transição depende, já fazem décadas, de estrutura física e mecanismos institucionais que o sustente.
(B) Pode ter havido elevações significativas na base educacional da população, talvez sem a proporção de ciência e engenharia que seria desejável.
(C) É caracterizado como armadilha da média renda a situação em que ocorre um baixo crescimento da produtividade e muito pouca elevação do número de profissionais de alta qualificação exercendo atividades criativas.
(D) O México precisa de leis condizente com os novos contextos mercadológicos, precisa quebrar a rigidez em áreas como petróleo e telecomunicações.
(E) A Argentina está entre os países que parece estarem presos à armadilha do baixo crescimento; a maioria chegaram a desenvolver capacidade tecnológica em algumas poucas áreas.

Dica 27 
GABARITO QUESTÃO 12 – CONCORDÂNCIA: B
– O verbo haver, no sentido de ocorrer ou existir, é impessoal, permanecendo na 3ª pessoa do singular, pois não possui sujeito. Exemplo: Haverá elevações. Já os verbos ocorrer e existir possuem sujeito e, portanto, as flexões de número e pessoa são pertinentes. Exemplos: Ocorrerão elevações. Existirão elevações. (elevações ocorrem/elevações existem). É importante observar que os verbos auxiliares assumem o comportamento dos verbos principais. Assim, temos o seguinte: Deverão ocorrer elevações. Podem ter ocorrido elevações. Deverão existir elevações. Podem ter existido elevações.

Deverá haver elevações. Pode ter havido elevações.
Alternativa "a" – o verbo fazer é impessoal quando se trata de tempo.
Alternativa "c" – pergunta: o que é caracterizado como armadilha da média renda? Encontrando como resposta “ a situação....”, sabe-se que a concordância correta é “É caracterizada como armadilha *...+ a situação...” (= a situação é caracterizada)
Alternativa "d" – leis condizentes = o adjetivo condizente deve combinar em número (plural) com o substantivo leis.
Alternativa "e" – parece estarem presos = Embora possa soar pouco familiar, esta construção, chamada de construção literária, é uma das duas formas corretas do infinitivo pessoal de “parece estar”. O verbo "parecer" pode relacionar-se de duas maneiras distintas com o infinitivo. - Quando "parecer" é verbo auxiliar de um outro verbo: Elas parecem chorar. (construção corrente) - Elas parece chorarem: nesse exemplo ocorre, na verdade, um período composto. "Parece" é o verbo de uma oração principal cujo sujeito é a oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo "elas chorarem". Como desdobramento dessa reduzida, podemos ter a oração "Parece que elas choram." (construção literária) O erro de concordância presente nesta questão é: “a maioria chegaram”, uma vez que o correto é: a maioria chegou.

Dica 28 

CRASE – trabalhar substituindo a palavra feminina por uma masculina, se resultar em AO = crase! QUESTÃO 13 (FCC/2013) Quanto ao emprego do sinal indicativo de crase, respeitado o padrão culto escrito, a única alternativa correta é:
(A) Essa foi uma estratégia que serviu ao Brasil e a maioria dos países inseridos na turma dos remediados.
(B) O estudo dá ênfase à educação e às telecomunicações, ajudando à entender por que o Brasil cresce pouco em comparação à outras nações de economia emergente.
(C) O país tem de fazer a transição à um sistema que premie o desempenho de professores e que garanta à todos os alunos talentosos resultados de excelência em exames internacionais.
(D) Vimos uma estratégia equivocada à época da reserva de informática. O país pagou um preço, porque a reserva não gerou "campeões nacionais" e ainda deixou os usuários atrasados em relação à população de outros países.
(E) O processo de urbanização levou à transferir atividades dos setores de subsistência, de baixo valor de mercado, para atividades mais modernas, que envolvem mais capital e mais tecnologia. Mas isso ocorreu sem novos requisitos à novas estratégias educacionais.

Dica 29
GABARITO QUESTÃO 13 – CRASE: D
– equivocada à época: usa-se crase nas locuções adverbiais de tempo; em relação à população = crase correta, combinando número - singular - e gênero - feminino-, além de respeitar o termo regente que exige uma preposição (em relação a que?). Facilitando: em relação ao povo.
Alternativa "a" – e à maioria dos países. FCC ajudando? Atente-se: serviu ao Brasil e a maioria dos países. A dica está na combinação (preposição + artigo) antes do substantivo Brasil. Substituindo: serviu ao Brasil e aos países.
Alternativa "b" – ajudando a entender = não se usa crase diante de verbos no infinito; em comparação a outras nações = a crase deve combinar em número e gênero com o substantivo, neste caso, não há esta concordância, pois “nações” está no plural.
Alternativa "c" – a um sistema – não se usa crase antes de artigo indefinido; garanta a todos = não se usa crase antes de pronome indefinido.
Alternativa "e" – levou a transferir = não se usa crase antes de verbo no infinitivo; requisitos a novas estratégias = a crase deve combinar em número e gênero com o adjetivo e com o substantivo, neste caso, não há esta concordância, pois “novas estratégias” está no plural.

Dica 30
PEGUINHA! QUESTÃO 14 (FCC/ 2012) Considere: “..... angústia de imaginar que o homem pode estar só no universo soma-se a curiosidade humana, que se prende .............. tudo o que é desconhecido, para que não desapareça de todo o interesse por pistas que dariam embasa-mento ................ teses de que haveria vida em outros planetas. Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:
A) À - a - às
B) A - à - as
C) À - a - as
D) A - a - às
E) À - à - as

Dica 31 GABARITO QUESTÃO 14 – CRASE: A
1 = temos aqui uma inversão de oração (a ordem natural seria: a curiosidade soma-se à angústia). Para facilitar: a curiosidade é somada à angústia. Lembre-se: algo ou alguém soma-se a algo. Sendo palavra (a angústia) feminina, deve receber crase = a curiosidade soma-se AO trabalho. Resultou em AO = crase!
2 = não se usa crase antes de pronome indefinido (algo, alguém, fulano, sicrano, beltrano, nada, ninguém, outrem, quem, tudo, algum(s), alguma(s) etc.)
3 = usa-se crase antes de palavra feminina, lembrando que crase é a fusão de vogais idênticas (a + a ou as + as). Sendo assim, “às teses” (com crase) e “a teses” (sem crase). Além disso, há a regência do termo antecedente (embasamento) exigindo a preposição “a”.

Boa Prova!

Baixe a revisão em PDF: http://goo.gl/mHy7q6
Contatos da Profa. Facebook, Grupo, Site






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis