Coaching para Concursos e OAB

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Dica de Português - Vozes Verbais - Profa. Rafaela Motta

1) Primeiramente, trata-se de uma flexão do verbo.
Sendo assim, vocês devem observar tudo o que se relaciona com ele, em especial, o sujeito.

2) Sendo assim, quando se classificam as vozes verbais, encontramos 3 tipos.
a) voz ativa: possui sujeito agente
dica: gravem "a" de ativa com "a" de agente
Ok, e o que é um sujeito agente?
É aquele que pratica a ação verbal. Simples assim.

Ex: Júlio foi ao clube.

Olha lá:o sujeito é a palavra "Júlio", percebam que ele praticou a ação do verbo "ir", logo é um sujeito agente.

b) voz passiva: possui sujeito paciente
dica: gravem "pa" de passiva com "pa" de paciente
Ok, e o que é um sujeito paciente?
É aquele que recebe/sofre a ação verbal. Simples assim

Ex: A casa foi vendida por João.

Olha lá: o sujeito é a expressão "a casa", percebam que ela recebeu a ação de ser vendida, e não praticou a ação.

Vejam que quem praticou a ação foi João, certo?
Inclusive esse termo (João) vai receber o nome de agente da passiva. Olhem como faz sentido. O agente da passiva é quem pratica a ação (pois esse é o conceito de agente, lembram?), só que na voz passiva. Viram? Tudo faz sentido na Língua Portuguesa, rsrsrsrsrs.

c) voz reflexiva: é aquele que possui um sujeito que, ao mesmo tempo, pratica e sofre a ação.
Dica: associem-na à ideia de um espelho: o espelho nos dá o reflexo de algo ou de alguém, vale dizer, a pessoa se vê no espelho, isto é, ela, ao mesmo tempo, vê e é vista.

Ex: Carla se cortou.

Olha lá: o sujeito é a palavra "Carla". Percebam que ela praticou a ação de cortar e, ao mesmo tempo, recebeu essa ação, ou seja, ela foi cortada.

Bom, até agora tudo tranquilo, né, gente?

3) Atenção à concordância verbal das vozes.
Pessoal, a regra geral de concordância verbal é dizer que o verbo concorda, em número e pessoa, com o sujeito.

Vejam que nos exemplos isso está acontecendo.

a) O verbo "foi" concorda com a palavra "Júlio" - 3ª pessoa do singular.

b) A locução verbal "foi vendida" concorda com "casa" - 3ª pessoa do singular.

c) O verbo "cortou" concorda com "Carla" - 3ª pessoa do singular.

Obs: Obviamente, o fato de, nos três exemplos, o núcleo do sujeito estar na 3ª pessoa do singular foi mera coincidência.

4) Quanto ao número de verbos.
Vamos comparar voz ativa com voz passiva.

Na voz ativa, quando se faz a conversão para a passiva, vocês devem perceber que, entre elas, vai existir a diferença de um verbo.

Como assim: na voz passiva, vocês vão encontrar um verbo a mais que na voz ativa. Atenção: eu disse um a mais, não necessariamente dois. Logo, se na voz ativa, houver um verbo, na passiva vai haver dois; se, por sua vez, na ativa houver dois verbos, na passiva vai haver três. Vou dar um exemplo exatamente assim:

Ativa: Os alunos estavam vendendo muitos livros.
Dois verbos, galera: estavam vendendo.
Seguindo o raciocínio: na passiva, vai haver um a mais; logo, três verbos.

Passiva: Muitos livros estavam sendo vendidos pelos alunos.
Viram só????!!!!!

Portanto, a partir de agora, vamos acabar com aquela lenda da Tia Maricleia de que a voz ativa tem um verbo, e a voz passiva tem dois. Nada a veeeeeeer!

Digam sempre: a conversão da voz passiva possui um verbo a mais do que a voz ativa.

5) Tipos de voz passiva
Há dois tipos de voz passiva, galera: a voz passiva analítica e a sintética.

Vamos analisar o significado destas palavras: analítico significa composto. Diante disso, quando se fala em voz passiva analítica, deve-se pensar em uma estrutura composta. Mas que estrutura seria essa? A estrutura verbal. Por isso, teremos uma locução verbal, que nada mais é do que uma forma verbal composta. Olhem que simples!!!!

Joana foi elogiada por todos.

A estrutura verbal é composta, temos aqui uma locução verbal: "foi elogiada". Por essa razão, essa voz passiva é analítica.

Sintético, por sua vez, significa resumido, contraído. Logo, a estrutura verbal será sintetizada, "resumida". É por isso que diminuímos um verbo. Logo, se na passiva analítica havia 2 verbos, na sintética, haverá 1.
O verbo auxiliar vai sair, e o principal vai ficar.

Só que na passiva sintética, entra em cena o pronome apassivador "se".

E sai de cena o agente da passiva, afinal, queremos sintetizar a estrutura, mantendo o sujeito, lógico, já que ele é a razão de a voz ser classificada como passiva, lembram? O sujeito é paciente.

Muito bem: como ficaria então a frase na sintética? Vamos lá.

1) O sujeito se mantém: Joana.
2) Diminui-se um verbo, retirando-se o auxiliar: no caso, "foi". Manteremos o verbo "elogiar".
3) Entra o pronome apassivador: se.

Lembremo-nos de que o verbo vai concordar com o sujeito. Nesse caso, Joana (3ª pessoa do singular), então vamos flexionar o verbo "elogiar" na 3ª pessoa do singular. Mas en qual tempo e modo? Vamos olhar para o tempo e o modo do auxiliar, que foi flexionada no pretérito perfeito do indicativo. O resultado da flexão do verbo "elogiar" na 3ª pessoa do singular, no pretérito prefeito do indicativo será: elogiou.

Pronto: já temos o sujeito e o verbo flexionado. Agora acrescentamos o pronome "se", e o resultado será:

Elogiou-se Joana.

Atentem-se para a ordem dos termos: verbo + pronome + sujeito paciente.

Viram só? Não é tão difícil assim!
E cai muito em prova!!!!
Então, agora é com vocês. Treinem bastante e detonem nas provas!!!!
Espero que tenham gostado!!!!
Beijos a todos!!!!

Contado da Profa.: Facebook

 

4 comentários:

  1. Muito obrigado professora vc é a melhor e mais gata de todas. ;) CHP

    ResponderExcluir
  2. Estarei em Lagoa Nova rn neste domingo 08/02/2015 fazendo prova ..Vou colocar em pratica o que aprendi com suas videos aulas .

    ResponderExcluir
  3. Excelente explicação
    Valeu professora
    Do meu coração!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis