Coaching para Concursos e OAB

sábado, 7 de setembro de 2013

A importância de manter o foco

Um planejamento de estudos de sucesso deve possuir foco, isto é, o concurseiro deve estudar para uma área específica e não “atirar para todos os lados”. É muito comum que, na ânsia por uma aprovação rápida, o concurseiro acabe por fazer todo e qualquer concurso que abra, mas muitas vezes essa atitude gera o efeito reverso – atrasa ainda mais a sua aprovação.

Quando falamos em focar numa área específica nos referimos a muito mais do que uma simples seleção entre a área estadual ou federal. É necessário que o candidato opte por concursos que possuam matérias correlatas. Por exemplo, advocacia pública ou tribunais ou procuradorias ou defensoria, etc.

Dessa forma, uma saída para não restringir muito o leque de concursos é ter como foco aquele que possui um maior número de matérias comuns a outros concursos. Mesmo assim, deve-se tomar cuidado, pois obviamente algumas matérias sempre cairão em concurso, como é o caso de Constitucional e Administrativo. Isso não quer dizer que você deva prestar um concurso para “se testar nessas matérias”. Pode parecer bobagem falar isso, mas há muitos concurseiros que agem dessa forma.

É uma grande ilusão prestar concurso para “se testar”. Com isso não queremos dizer que não seja importante fazer provas ou simulados, pelo contrário, isso ajuda muito no ritmo de estudo e auxilia o autoconhecimento. O errado é fazer uma prova onde caem poucas matérias que você estuda, ainda mais para um cargo que você nem mesmo sentiria prazer em exercer.

Ao prestar um concurso para se testar o candidato está vivendo uma verdadeira ilusão, visto que acaba não estudando matérias específicas daquele concurso como, por exemplo, alguma legislação específica, com a desculpa de estar “se testando nas matérias X e Y”, além de ter que contar com a sorte para uma “possível” aprovação.

Ao fim e ao cabo, em 99% dos casos, o candidato não consegue a tal aprovação e ainda aumenta a sua frustração, fora o desperdício de dinheiro com inscrição, que poderia estar sendo utilizado para a compra de livros ou para pagar um módulo de uma matéria importante que tenha dificuldade. Além disso, imagine-se tendo que estudar a todo concurso uma nova matéria, quando se sabe que a aprovação é consequência da soma de conhecimento e repetição.

Outro fator que colabora muito para a perda do foco nos estudos é prestar atenção unicamente ao salário. Obviamente, quando decidimos prestar concurso tal escolha foi influenciada pelos bons salários e pela estabilidade proporcionada pelos cargos públicos, mas é importante que você não deixe de prestar atenção na sua vocação profissional. Mesmo que escolha um cargo como escada, possivelmente, passará um bom tempo exercendo esta função, mesmo que por apenas 1 ano. Contudo, imagine-se fazendo algo que você não tem dom ou detesta por 1 ano. Se já é difícil fazê-lo por apenas 1 dia, imagine trabalhar vários e vários dias esperando pelo fim do expediente.

Desta forma, é importante que o candidato aprenda a analisar de forma crítica se o concurso que vai prestar irá ou não fazê-lo perder o foco, sempre comparando esses fatores com suas habilidades. Assim, será possível perceber os melhores caminhos e obter os melhores resultados.

Bons estudos!

Um comentário:

  1. Deborah, parabéns pelo blog! Super útil para os concurseiros ou só para quem quer se atualizar! Vc presta concursos para a área trabalhista? Procurador e magistratura? Bjs!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis