Desafio

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Depoimento do aprovado - José Assuero



Sabe aquelas perguntas que você estava doido para fazer aos concurseiros aprovados??
A Concurseira Dedicada faz por você!!

Nosso 7o entrevistado é José Assuero da Costa Filho, aprovado no concurso de  Técnico Administrativo do MPU/2010.


1- Nome
José Assuero da Costa Filho.

2- Cargo em que foi aprovado
Técnico Administrativo do Ministério Público da União

3- Já havia sido aprovado anteriormente? Em que concurso?
Não, esse foi o meu primeiro concurso, aprovação anterior somente em concurso para estagiário do Ministério Público Estadual do RN.

4- Quanto tempo demorou a ser nomeado?
Aproximadamente 1 ano e 4 meses.

5- O que sentiu ao saber da aprovação?
Sensação de missão cumprida, de ter tirado um peso das costas, de independência, de alívio, de tranquilidade, entre outros sentimentos que justificam todo o esforço, pois quem é concurseiro de verdade sabe como é desgastante esse opção de vida, entretanto a alegria da aprovação é muito mais gratificante.

6- Pretende continuar estudando para concursos? Para qual cargo?
Sim pretendo, fui aprovado em um bom cargo federal, ganhei estabilidade, mas sabemos que sempre há melhores, entretanto devo primeiro terminar meu curso de Direito, pois passei muito novo no concurso e infelizmente precisei trancar minha faculdade. Após, com certeza estudarei para outro cargo, mas ainda não tenho total certeza para qual será, sempre gostei da área de Segurança Pública, então talvez a Polícia Federal será o meu próximo objetivo.

7- Há quanto tempo estudava para concursos?
Há mais ou menos 1 anos e meio.

8- Quantas horas por dia dedicava aos estudos?
Média de 10 horas diárias.

9- Tinha dedicação exclusiva?
Sim, e confesso que as pessoas que tem dedicação exclusiva para estudar são privilegiadas, entretanto é preciso aproveitá-las. Os que não tem dedicação exclusiva não devem achar que irão perder para os que tem, e sim se esforçar o máximo no seu tempo disponível.

10- Fez planejamento de estudos?
Absolutamente, o planejamento eu diria que é fundamental para conseguir a aprovação, pois quem estuda 10 horas por dia, por exemplo, não significa necessariamente êxito. Se não tiver um planejamento estratégico, boa parte das 10 horas foram de estudos desordenados. O concurseiro deve pensar no certame como uma guerra, não vence a guerra necessariamente quem tem maior número de soldados (horas de estudos), mas quem tem melhor estratégia (planejamento).

11- Estudava quantas matérias por dia? 
No mínimo 2, no máximo 4.

12- Fez cursinho? Online ou Presencial?
Presencial e aconselharia os concursandos que tenham condições fizessem, pois é uma ferramenta que ajuda demais, principalmente os iniciantes, ademais na montagem, justamente, do planejamento (como, o quê e por onde estudar) citado na questão anterior.

13- Fazia turma intensiva ou regular?
Intensiva e regular.

14- Estudava por mapas mentais ou resumos? Eram elaborados por você?
Mapas mentais ajudam muito, procurava sempre elaborá-los de acordo com o meu jeito de estudar, embora também usasse outros que não eram da minha autoria. Resumos também são bons, aconselho usá-los nas vésperas dos concursos ou quando o candidato já tem um domínio muito bom de certa matéria e quer somente revisá-la para evitar esquecê-la.

15- Qual foi sua maior dificuldade durante o período de preparação?  
Acho que estar sempre motivado, ter paciência e determinação e, sobretudo, ter a concentração necessária para não se deixar abalar caso aconteça uma reprovação, são as maiores dificuldades encontradas na caminhada pela aprovação.

16- Passou por períodos de desânimo? Se sim, o que fazia para retomar os estudos?
Particularmente, até passei por desânimos sim, acho que mais pelo cansaço e por ser um pouco impaciente, mas como disse passei no meu primeiro concurso, então ainda não passei pela experiência de ter estudado muito e ter a confiança da aprovação e não lograr êxito, mas mesmo assim desânimos existem para todos. Para tentar sempre ficar animado, confesso que tirei cópia do contracheque de um amigo e sempre ficava olhando para ele enquanto estudava, rsrsrsrs, também fazia a leitura do pensador Roberto Shinyas: “Um meio ou uma Desculpa”, verbis:
"Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo.
Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo. O sucesso é construído à noite!
Durante o dia você faz o que todos fazem.
Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial.
Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados.
Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso.
Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas.
Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão.
Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina.
A realização de um sonho depende de dedicação, há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é combustível dos perdedores pois...
Quem quer fazer alguma coisa, encontra um MEIO.
Quem não quer fazer nada, encontra uma DESCULPA."
17- Chegou a pensar em desistir?
Não, jamais, desistir é uma palavra que não existe no dicionário do concurseiro. Devemos encarar a jornada como uma fila de banco, se não sair dela (não parar de estudar), mais cedo ou mais tarde (dependendo da sua determinação) você será atendido (passará no concurso).

18- Tinha o apoio de sua família e amigos?
Sim, esse apoio é importante, principalmente a paciência e confiança dos pais, que na maioria das vezes é quem bancam os estudos, isso dá conforto mental para o candidato continuar tranquilo, sem pressão, os estudos até ser aprovado.

19- Costumava sair aos finais de semana?
Não, muito raramente, respondo com as palavras do pensador citado na questão 16, pois é realmente como penso: "Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes (…) . Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso.
Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina”.

20- Praticava exercícios físicos?
Não, posso até ter cometido um erro, mas, sinceramente, pensava que poderia deixar isso para depois da aprovação.

21- Usava as redes sociais no período pós edital?
Sim, mídias sociais é um instrumento muito importante no compartilhamento de informações, entretanto devemos filtrá-las, bem como quem as compartilha, pois muitos podem querer nos prejudicar.

23- O que costumava fazer no dia anterior à prova?
Estudar, podem alguns achar que devem descansar, tudo bem, entendo e respeito, mas, particularmente, não preciso desse “descanso”, funciono melhor estando em contato com o concurso até entrar na sala para resolver a prova. O concurso que passei as provas foram no período vespertino, com isso fiquei estudando a manhã toda e foi, realmente, determinante para minha aprovação, peguei muitas coisas na manhã que caíram na prova, mas isso deve ser analisado por cada um, entendo que outros precisam desse tempo de relaxamento antes da prova.

24- Arrepende-se de algo que fez ou deixou de fazer durante sua preparação?
Não, dei o meu melhor, estudei o máximo que pude e, acima de tudo, confiei na minha aprovação porque realmente me sentia e estava preparado.

25- Deixe um recado aos concurseiros
A decisão de se tornar um servidor público não é simplesmente uma escolha, mas sim uma opção de vida. Não posso dizer que a jornada é fácil, porque não é. Não posso dizer que todos vão conseguir, porque não vão. Mas posso dizer que é gratificante e que quem decide se vai conseguir ou não é simplesmente o candidato. Raramente alguém estuda porque gosta, eu, por exemplo, estudei e estudo por necessidade, porque eu queria mudar a minha realidade de vida, e todos vocês concurseiros que estão lendo essa mensagem também estão querendo mudar sua realidade de vida, entretanto para isso é preciso agir, não desistir, não se desmotivar, ter paciência, ser perseverante, e renunciar o máximo de atividades que não contribuem para sua aprovação, pois quanto maior o sacrifício, mais rápida será a glória, e depois você terá todo o tempo do mundo para desfrutar das coisas que renunciou durante sua preparação. Finalmente, é isso, uma caminhada de sacrifícios com um final de gratidão imensa que só sente quem tem êxito, portanto, não desanimem, não saiam da “fila” que todos serão atendidos, só não desistam.

Abraços e boa preparação a todos.

 -> Quer participar da coluna depoimento do aprovado? Deixe nos comentários seu e-mail e cargo em que foi aprovado que entrarei em contato via e-mail! ;)  



2 comentários:

  1. Nossa, muito radical pra muito tempo pra passar em um concurso de nivel medio...

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela aprovação! Merecidissima!
    Porem uma duvida: essas 10 hs diarias de estudo eram cronometradas ou brutas (com intervalos)? E e o aprovado sempre conseguia cumprir ou tinha dias q batia o cansaço?

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis