Coaching para Concursos e OAB

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Depoimento do aprovado - Edilvani dos Santos (Procuradora da Fazenda Nacional)


Sabe aquelas perguntas que você estava doido para fazer aos concurseiros aprovados?? 
A Concurseira Dedicada faz por você!!
Nossa 5a entrevistada é Edilvani dos Santos, aprovada no concurso da PFN 2012/2013, entre outros.

1- Nome
Edilvani dos Santos Souto Corrêa

2- Cargo em que foi aprovado
Procurador da Fazenda Nacional 2012.


3- Já havia sido aprovado anteriormente? Em que concurso?
Técnico Previdenciário do INSS, cargo que ocupei de abril de 2003 a dezembro de 2004, e Técnico Judiciário da Justiça Federal, cargo que ocupo desde dezembro de 2004. Também fui nomeada no concurso para Técnico na Justiça do Trabalho, mas não assumi porque já trabalhava na JF. Logrei aprovação ainda nos concursos de Analista da Justiça Federal, Analista Processual do MPU e Advogado da Caixa Econômica Federal, mas fiquei mal classificada e não cheguei a ser nomeada.

4- Quanto tempo demorou a ser nomeado?
Cerca de 2 meses.

5- O que sentiu ao saber da aprovação?
Sensação indescritível de felicidade! Sentimento de dever cumprido, de que tantas horas de estudo valeram a pena.

6- Pretende continuar estudando para concursos? Para qual cargo?
Vai depender da minha lotação e condições de trabalho na PFN...

7- Há quanto tempo estudava para concursos?
Eu nunca parei totalmente de estudar depois que me formei, em janeiro de 2010. Naquele ano, fiz um curso preparatório para magistratura federal. Depois, de março de 2011 a março de 2012, fiz um cursinho anual telepresencial. Mas o estudo sério começou mais ou menos em setembro de 2011, quando resolvi focar nos editais da AGU e PFN.

8- Quantas horas por dia dedicava aos estudos?
Como eu trabalho sete horas por dia, dificilmente conseguia estudar mais que duas ou três horas líquidas durante a semana. No final de semana, os dias que rendiam muito eram de seis horas líquidas, mas a média era quatro. Horas líquidas são horas de efetivo estudo, sem contar intervalo, revisão, aula, pausas.

9- Tinha dedicação exclusiva?
Não, trabalhava de segunda a sexta, sete horas por dia.

10- Fez planejamento de estudos?
Para a prova objetiva sim, após sair o edital. Para as fases seguintes, estudava o que achava mais importante, o que achava mais possível cair e as matérias em que tinha mais dificuldade.

11- Estudava quantas matérias por dia?
Variava muito, mas geralmente mais de uma.

12- Fez cursinho? Online ou Presencial?
Sim, ambos, antes de sair o edital. Para a segunda fase, fiz um cursinho específico online, e, para a prova oral, fiz um curso de final de semana e outro de um dia.

13- Fazia turma intensiva ou regular?
Ambos os cursos que fiz antes do edital duraram um ano, um se chamava regular e outro intensivo... De qualquer forma, não foram específicos para a PFN; um era voltado à magistratura federal e o outro era um curso com as matérias básicas.

14- Estudava por mapas mentais ou resumos? Eram elaborados por você?
Cheguei a fazer alguns, mas tinha a sensação de que estava perdendo tempo, então parei. Porém, guardei os que já tinha feito, são ótimos para revisões de última hora. Para a fase oral, participei de um grupo de estudos, através do qual conseguimos resumir todos os pontos do edital da PFN pelo sistema de perguntas e respostas. Foi muito válido para o estudo nessa última etapa.

15- Qual foi sua maior dificuldade durante o período de preparação?
Principalmente dificuldade de concentração, pois me disperso com muita facilidade. O sono também atrapalhou um pouco, prejudicava muito o meu estudo da noite; eu só podia dormir de seis a sete horas por dia, devido à falta de tempo para estudar. Então, quando sentia sono, procurava um estudo mais “ativo”, como resolução de questões.

16- Passou por períodos de desânimo? Se sim, o que fazia para retomar os estudos?
Sim, muitos... As renúncias são muito dolorosas. Sentia muita falta de passar mais tempo com meu marido, de viajar nos feriados, de descansar nas férias e nos fins de semana, de dormir mais... Para driblar isso, fiz um “cartaz dos sonhos”, com imagens de coisas que eu alcançaria quando conseguisse a aprovação, e coloquei como imagem de fundo na área de trabalho do computador. Também escrevia frases de motivação e colava no meu mural. Mas não tem jeito, é uma motivação totalmente racional, você tem simplesmente que abstrair e continuar.

17- Chegou a pensar em desistir?
Nunca.

18- Tinha o apoio de sua família e amigos?
Sim, total.

19- Costumava sair aos finais de semana?
Eu não estudava nos sábados e domingos à noite, então às vezes saía para jantar, cinema, barzinho... Mas sempre voltava cedo, porque no dia seguinte tinha que acordar cedo e render nos estudos.

20- Praticava exercícios físicos?
Somente duas ou três vezes por semana e, no estudo para a prova oral, uma vez por semana. Não dá pra querer estudar, trabalhar e ter barriga de tanquinho ao mesmo tempo. Fazia exercícios apenas para a minha coluna aguentar e para oxigenar o cérebro. Gostaria de ter feito mais, mas o estudo era minha prioridade.

21- Usava as mídias sociais no período pós edital?
Sim, principalmente o twitter, mas o facebook também foi muito útil, pois hoje muitos bons professores têm páginas com dicas. O problema é a tentação de perder muito tempo na internet; por isso, tinha que me policiar para acessar somente na última meia hora útil do dia.

22- O que costumava fazer no dia anterior à prova?
Geralmente, parava de estudar dois ou três turnos antes da prova e procurava me distrair com outras coisas. Mas para a prova oral estava tão nervosa que só me acalmava estudando. Enfim, acho que o ideal é fazer o que proporcione relaxamento.

23- Arrepende-se de algo que fez ou deixou de fazer durante sua preparação?
Não me ocorre nada agora; acho que, mesmo do meu jeito atrapalhado e sem muito método, as coisas acabaram dando certo, então acho que não me arrependo de nada.

24- Deixe um recado aos concurseiros.
Todo mundo quer um cargo público, mas poucos se dispõem a pagar o preço. Dedique-se e estude sério, renuncie a algumas coisas, vale a pena! No fim das contas, você vai perceber que o preço nem foi tão alto assim.


-> Quer participar da coluna depoimento do aprovado? Deixe nos comentários seu e-mail e cargo em que foi aprovado que entrarei em contato via e-mail! ;) 

6 comentários:

  1. AMEI!!! Obrigada! Valeu a pena ler até o final.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!! Adorei ler seu depoimento. Sucesso!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns!! Seu depoimento me motivou ainda mais. Quais páginas acessadas por você no Facebook com dicas?

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Edilvani! Alivia saber que não ser a pessoa mais metódica do mundo não é sinônimo de fracassar em concursos.
    (Abdicar das pizzas do mês deu certo)

    ResponderExcluir
  5. Nossaaaa....adorei o depoimento...me deu uma super motivação!!! Sou concursada, mas trabalhar 8hs por dia, fazer faculdade (já focada p/ outro concurso publico), estudar aos feriados e finais de semana, malhar...namorar...ufaa...achei que estava no caminho errado, mas agora vi que não! Valeu msm!!!

    ResponderExcluir
  6. Realmente é o sinônimo de equilíbrio. Obrigada pelas dicas

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis