Coaching para Concursos e OAB

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Como fazer planejamento de estudos para concurso

Muita gente começa a se interessar pelos concursos públicos, mas não tem a menor ideia de como
começar. Para quem pretende iniciar um projeto consistente e organizado, o melhor é escolher uma área de concursos para iniciar uma preparação com antecedência, sem estar vinculada à expectativa do edital de um determinado concurso.

O estudo deve começar pelas disciplinas básicas - aquelas matérias que caem em todos os concursos da área. Assim, o candidato estará se preparando para diversos concursos ao mesmo tempo. Além disso, o conhecimento relacionado às disciplinas básicas muitas vezes é importante para a compreensão de outras disciplinas.
Mas, como quando a gente começa não sabe bem como as coisas funcionam, a maioria dos candidatos entra nesse processo já focado num concurso específico que esteja para sair ou até com edital publicado. É mais fácil perseguir um objetivo mais concreto e imediato. Isso não deixa de ser válido, desde que sejam adotados alguns cuidados.

Apoio na preparação
Sempre que possível, é interessante utilizar a ajuda de um curso preparatório. Isso porque muitas vezes (quase sempre) o candidato precisará estudar disciplinas que nunca viu antes e a orientação do professor facilita a compreensão daqueles conteúdos. Outro aspecto é que os conteúdos são muito extensos e é importante saber quais pontos costumam ser mais cobrados nas provas. O que se observa é que o investimento no curso normalmente acelera o processo e permite que a aprovação seja conquistada em menos tempo.

Há opções de cursos presenciais - no formato tradicional, com sala de aula, professor e aluno – e há também os cursos online, via internet, em que as aulas podem ser assistidas em qualquer horário e durante determinado período de tempo, podendo ser assistidas mais de uma vez.

Para escolher os melhores cursos, o ideal é visitar cada um - no caso dos presenciais – e ver com qual o candidato mais se identifica. Conversar com quem já está estudando há algum tempo também pode ajudar. Os fóruns de discussão sobre concursos na internet são outro recurso útil na tomada de decisão.

Organizar a rotina
Seja a preparação para um concurso que “está na rua” ou uma preparação antecipada, o estudo será mais produtivo se o candidato assumir o controle da sua vida e do seu tempo. Estudar “no tempo que sobra” é pouco eficiente, além de causar bastante angústia, porque a sensação de culpa é permanente: quando se está fazendo outra coisa que não estudar, mesmo que seja algo necessário, e quando se está estudando e há outras tarefas pendentes. O planejamento elimina esse problema.

Propomos, então, que o candidato pegue uma folha de papel (ou faça isso no computador) e ali prepare um calendário do mês que está começando. Vamos fazer o de março/2013. Veja a nossa tabela a seguir:



Em seguida, anote ali os compromissos fixos já existentes: trabalho, aulas, consultas médicas, etc. Inclua também as tarefas de rotina, como compras de mercado e outras.



O próximo passo é assinalar o tempo que restou, e que será destinado ao estudo.



Agora é possível verificar o tempo realmente disponível para o estudo, marcado no sinal (DISPONÍVEL). Cabe ainda algum ajuste: se tiver sobrado pouco tempo, será que algumas tarefas podem ser reorganizadas? Por exemplo, o mercado pode ser feito em outro horário ou, até, por outra pessoa?

Por outro lado, mesmo que todo o dia esteja disponível para estudo, é preciso começar com pouco tempo e aumentar gradativamente, conforme o candidato sentir que tem condições.

Feito isso, podemos distribuir as disciplinas que serão estudadas. Vale lembrar que é importante reservar intervalos – 15 minutos - a cada hora e meia a duas de estudo e entre os turnos do dia – 1 hora, pelo menos, entre manhã/tarde e tarde/noite. Deixar um dia livre na semana (ou, ao menos, um turno livre) também é essencial para que o candidato possa recarregar as baterias para a semana seguinte.

Outro cuidado que se deve tomar, sempre que possível, é alternar matérias de exatas, como matemática e afins, com matérias de linguística, como português e direitos. Isso permite que uma área do cérebro descanse enquanto se estuda o outro tipo de disciplina. É interessante também colocar as matérias com as quais se tem menos afinidade nos melhores horários de estudo, deixando os piores horários para as disciplinas mais agradáveis.

Exemplos
Veja a seguir dois exemplos de distribuição de matérias: para concurso de nível médio, cargos administrativos (preparação com antecedência) e a outra com a distribuição para o concurso dos Correios, também de nível médio, que deve sair a qualquer momento. Em ambos os casos, consideramos a situação de quem está sem trabalhar, totalmente dedicado à preparação, e de quem está trabalhando e tem somente a noite para estudar.

Optamos por incluir pelo menos três períodos de atividade física em todas as programações. Não faltam pesquisas mostrando os benefícios da atividade física regular (uma caminhada que seja) para o bom funcionamento do cérebro e para o equilíbrio emocional - condições essenciais para a produtividade do estudo.

Faça os ajustes necessários à sua realidade e perceba a diferença no rendimento quando se sabe quais são os horários de estudo e o que será estudado a cada dia. Em meio à distribuição das disciplinas básicas para concursos de nível médio administrativo (português, direito constitucional, direito administrativo, informática e matemática/raciocínio lógico) é preciso reservar um tempo para praticar atividades físicas e deixar o domingo livre para descanso.


 

Agora veja abaixo um exemplo de plano de estudos para o concurso dos Correios, de nível médio (para os cargos de carteiro e operador de triagem e transbordo haverá teste físico e a preparação também deve ser iniciada antes do edital).



Para evitar frustrações, o candidato deve estar ciente de que a aprovação pode levar alguns meses ou até alguns anos, dependendo do tipo e complexidade do concurso. Reprovações também podem acontecer, mas são apenas etapas do processo e indicam que há aspectos a melhorar, seja no conhecimento da teoria, na estratégia de prova ou no equilíbrio emocional. Fazem parte da trajetória até a aprovação.

Fonte: G1 - Coluna Lia Salgado. 

12 comentários:

  1. Muito bom. Pena que não posso fazer uma tabela para manhã, tarde e noite.

    ResponderExcluir
  2. Como sempre postagens que de fato ajudam os concurseiros.
    Gostaria de saber se vocês poderiam disponibilizar um programa de estudos para quem sai as 12:00 (meio-dia) para trabalhar e a noite vai para a faculdade.
    Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Como fazer um planejamento de estudos de 14 disciplinas, como ficaria o rodízio delas e as revisões? Se possível montar uma tabela a algum cargo federal. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pode utilizar o modelo acima e colocar cada disciplina pelo menos uma vez por semana, obviamente, adequando o tempo de estudo dependendo da sua dificuldade em cada matéria.

      Excluir
  4. Muito bom o texto!

    Adorei a parte que você falou sobre colocar as matérias mais difíceis nos melhores horários. Também acredito que isso é muito bom para potencializar a aprendizagem.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Isso não me assusta mais. Antigamente eu via os planos de estudos das pessoas que estudavam em todos os turnos e me sentia incapaz. Hoje em dia, por ser servidora e também ter assistido a vários depoimentos de primeiro colocados que trabalhavam oito horas por dia, isso acaba virando irrelevância, fora que muitas pessoas que dizem fazer isso, não o fazem. Sugiro que crie um post com planejamento para quem trabalha oito horas por dia. Obrigada.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelas dicas. Gostaria de saber como você monta as suas revisões das matérias estudadas com o passar dos dias.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Ajude seus amigos concurseiros, divulgue o blog. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis